terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Desejos Impuros - Parte 5 - O Parque Abandonado

Depois do falso depoimento de Carol e com a vibração de todos em sala. Fiquei ainda mais desconfiada. Afinal, o que Thalita queria com Carol no parque abandonado? Por que ela havia sumido tanto tempo? Estas e outras perguntas pairavam pela minha mente e o pior de tudo, não me deixavam em paz, é claro que havia algo de errado nessa história, mas eu não sabia se estava preparada para descobrir o que era. Quando o sinal tocou todos desceram, segui Carol Ela se despediu das amigas na portaria e começou a andar pela rua, com certeza estava indo para o velho parque. Algo me dizia que não era para ir com ela, que talvez fosse perigoso, mas eu fui mesmo assim. Segui Carol por longas ruas, e caminhos estranhos que me levaram até o velho parque, sim, este era um tipo de Playground abandonado, cheio de brinquedos entre eles uma simpática casinha de boneca. Foi então que Carol começou a gritar pelo nome da amiga, mas Thalita não a respondeu, pela expressão do rosto de Carol eu não era a única que estava com medo de estar ali.

Carol começou a olhar para os lados, eu já havia conseguido despistá-la o caminho todo, não era agora que eu iria deixar ela me ver. Ela perguntou: "Quem está aí?" Fiquei em silêncio, o medo transparecia em seus olhos, ela gritou Thalita várias e várias vezes para que esta aparecesse, mas nada aconteceu. Ela estava chorando quase indo embora, quando apareceu ele. Nem eu acreditei no que estava vendo, Franco Rosenberg conosco? Será que ele seguiu Carol também? Quando Carol viu Franco, se aproximou dele e começou a fazer várias perguntas. Ele disse que também estava preocupado com Thalita e que já havia iniciado a pedidos dos pais dela, uma investigação sobre o desaparecimento da filha, e ele estava no caso. Franco estava diferente dessa vez, estava sério, mas ao mesmo tempo sedento e muito "carinhoso" com Carol, fiquei a observá-los. Ele disse que já havia falado com a Thalita e que ela estava bem. E começou um papo estranho para o lado de Carol, dizendo que aquele lugar era muito perigoso e que os seus pais poderiam estar preocupados com ela. Carol concordou. Então Franco começou a acaricia seus cabelos, e continuo com o papo estranho.

Ele a perguntou se estava cansada de ter a vida que ela tinha e se gostaria de se tornar alguém melhor. Pensei alguém melhor?! Impossível. Ela disse que não, que estava satisfeita com a vida que ela tinha. Então ele perguntou se ela gostaria de ter poderes, tipo super velocidade e raciocínio (Nossa, eu boiei nessa. Será que ele vai transformá-la em um "super herói"?). Ela respondeu não, e notando que ele estava próximo demais dela, se afastou dele, ele a pegou pelo braço e abraçou. Eu estava ali morrendo de ciúmes, quase chorando de raiva. Quando ele cheirou os cabelos dela, e falou com uma voz doce e envolvente: "Posso acabar com a sua dor, posso fazê-la imortal" (Gelei na hora, o que ele queria dizer com imortal?).

2 comentários:

Taynara disse...

Queero maiis queroo maiiis *--*

# Lαurα Fernαndez c੭ disse...

E teremos muito mais *--*