sábado, 28 de janeiro de 2012

Desejos Impuros - Parte 23 - Linha Tênue

O vento levemente batia em meu rosto, o estofado de couro do carro de Rosenberg era macio e aquecia a minha pele. Ele estava de óculos escuros, com os dois botões da sua camisa desabotoados, me observando pelo retrovisor interno dando olhares e risadas a ponto de me provocar. Tudo estava perfeito, se não fosse Caroline Bastos. A metida, a intragável, a insuportável estava no carona ao lado do homem que eu amava. Eu tentei me comportar, não queria fazer cena. Porém enquanto eu tirava o casaco jeans do meu rosto:

- Já tirou? Ninguém sentiu saudade dessa sua cara feia. - Falou Carol.
- Nem dá sua. - Respondi Carol. Enquanto Thalita tentava não dar risada.
- Olha aqui excluída. Enquanto você enfiava a cara nesse seu casaco velho, todos olhavam pra mim e comentavam... - Falou Carol até ser interrompida por mim.
- Como uma patricinha fútil foi parar no carro de Franco Rosenberg? - Perguntei olhando na cara dela.
- Oie, meu nome é Melina, tenho 17 anos e uso meu casaco jeans como capa de invisibilidade. Olha como estou invisível! - Falou Carol pegando o meu casaco colocando na cabeça e tentando imitar a minha voz.
- Devolve meu casaco. - Pedi com calma.
- Que foi Melina? O casaco jeans é seu? Foi seu pai que te deu? Nossa, ele anda tão ausente. - Falou Carol com voz irônica.
- Me dá o meu casaco. - Gritei pegando o meu casaco e puxando da mão dela.
- Você quer? Então vai pegar. - Gritou Carol.

Ela estava pegando o meu casaco para jogar pela janela. Quando Rosenberg parou o carro e gritou:

- Parem as duas.
- Mas foi ela quem começou. - Eu e Carol falamos ao mesmo tempo.
- Pra fora do carro, as duas. - Pediu Franco com a voz séria e decidida.

Saí do carro com uma tristeza tão grande. Pelo olhar e pela expressão de Franco, eu já sabia que para a gente ali era o fim da linha:

- Vamos resolver isso agora, do modo apropriado. - Falou Franco fazendo uma pausa. - Carol e Melina fiquem aqui. - Ele nos colocou perto do carro, um ao lado da outra e de frente pra ele. - Quem quer começar? - Perguntou Franco, levantamos as mãos. – Melina primeiro. - Respondeu.
- Professor, eu não sei qual é o problema de Carol. Mas ela não gosta de mim, na verdade ela me odeia. Não conseguimos nos relacionar bem. Acho que ela me vê como um tipo de ameaça por não aderir ao grupo, nem aceitar as suas "ordens". - Respondi tentando manter a calma e a seriedade.
- Ameaça? Ela está se fazendo de vítima. - Resmungou Carol.
- Eu te dei permissão para falar Carol? - Perguntou Rosenberg num tom severo e amedrontador.
- Não senhor. - Respondeu Carol olhando pra baixo.

Houve uma pausa longa. Franco estava em silêncio, com a expressão do rosto séria e inalterada. Eu sabia que ele estava chateado com aquela situação, mas o que eu temia era o que Carol ia dizer a seguir. E Franco deu a permissão:

- Professor, sou líder de sala. Uma aluna exemplar, com ótimas notas e vista a bons olhos pela coordenação. Eu como aluna e participante ativa desse sistema, não posso ocultar a verdade. Melina Santiago é uma garota atormentada, triste, uma excluída do meio estudantil, não possui vida social. Essa garota chega a ser tão sínica e rebelde que engana até os vossos olhos. Ela pode se comportar bem na sua aula, mas eu sei que por traz desse rostinho existe alguém que é capaz de colocar em perigo a todos nós. Sempre quebrando regras, tirando notas baixas até de qualitativa, e sem coordenação. Essa garota menti para todo mundo fazendo esse papel de coitadinha, que a propósito não cola mais. - Continuou Carol com um tom de desespero na voz e com os olhos lacrimejando - Eu tentei ajudá-la, a acolhi no meu grupo, e agora o que ela faz? Fica espalhando calúnia sobre mim pelo colégio inteiro, dizendo que sou patricinha fútil, galinha, que eu sou uma boa bisca. Eu sempre ouvi tudo isso sem fazer nada, mas agora resolvi revidar, esta é a minha defesa. - Terminou Carol secando as lágrimas que caíam do seu rosto.

Desesperada, eu coloquei as mãos na cabeça já pensando que fosse o meu fim. Aquela garota sabia mentir e encenar tão bem, que qualquer mortal acreditaria nela. Mas Franco Rosenberg não era mortal, ele era um vampiro:

- Parabéns Carol! - Aplaudiu Franco. - Mas aqui não é o tribunal. Você seria uma ótima advogada, atriz de cinema até. Sabe mentir tão bem quanto chora. Porém o seu maior erro foi ter mentido para um vampiro que lê mentes. - Falou Franco puxando a mão de Carol com força para ler seus pensamentos. - Agora aprenda de uma vez por todas que não deve mentir pra mim. - Respondeu Franco enquanto virava o braço de Carol para dar uma lição.
- Pará Franco, você está me machucando. - Pediu Carol.
- Professor pare, por favor. - Pedi com a voz tremula e com o olhar desesperado.

Olhei rapidamente para Thalita. Ela estava sentada no carro com um olhar tranquilo e sereno. De repente ela fechou os olhos e Franco largou Carol no chão. Thalita saiu do carro correndo e socorreu a amiga. Franco nos fitou com um olhar de angústia e deu a sua última ordem:

- Eu não quero mais saber de briga entre vocês duas. Já que são crianças, as tratarei assim. Entrem no carro.

Então nos dirigirmos ao carro e entramos. Carol sentou-se atrás comigo, porém não nos falamos mais. Já Thalita sentou na frente, ao lado de Franco Rosenberg. Passamos o resto da viagem inteira em silêncio. Enquanto eu tentava sobreviver a minha primeira aula de campo fiquei observando todos ao meu redor. Carol estava com uma cara de "não admito que sou culpada", e não parava de escrever no celular. Com certeza estava no Facebook respondendo os comentários dos seus devotos. Já Franco às vezes olhava para o banco de trás, olhava pra Carol, olhava pra mim sempre tentando manter a calma. Mas o que me intrigava de verdade foi o que Thalita fez, ela acalmou Franco em questão de segundos. E os dois não paravam de se olhar, era como se ambos estivessem escondendo algo que acabamos de descobrir.

6 comentários:

Marrisa disse...

Hahahahh. bem feito pra essa biscate,patricinha fútil, e alem do mais burra menti prum vampiro qe lê mentes haha... Fiquei surpresa em como a Melina não voou pro pescoço da biscate, se fosse comigo eu teria esganado a vadia da carol ¬¬
Ah parabens laura, mais um cap fodastico (tenho qe parar de chamar as coisas de fodasticas e muito perfeitas ¬¬) ^^
bjoos
Ps: Sismei com o Franco e a Thalita, qual serah o segredo deles ><
xoxo

# Lαurα Fernαndez c੭ disse...

Oie Marii, *--*

Eu não posso negar que gostei muito de ver Carol quebrando a cara nas maãos de Franco Rosenberg.
HSAUHASUHASU - Eu também fiquei surpresa, mas eles são um clã, um não poderia matar o outro.
Você teria esganado Carol? Então somos duas, pega o saco que eu levo a vasoura (Tropa de Elite 2) >:D
Brigadaãoo Flooor, achou esse capítulo fodástico? Espere o próximo.
O segredo deles você já já ficará sabendo.

Beijos e até mais *---*

Cinderela ao Contrário... disse...

Ohh God!
Você tem o dom de deixar todos muitoooo curiosos!(rsrsrs) :)
Afinal qual é o problema da Carol? porque ela não deixa a Melina em paz? mas que coisa! (rsrsrs)
A Thalita não tem uma história com o Franco que a gente desconheça... tem?
Parabéns por mais um capítulo! estou esperando muito curiosa pelo próximo!
xoxo

Pollyanna Alves disse...

Eu não acho sensato mentir para um vampiro que lê mentes. Além de patricinha e fútil, também demostra que é burrinha kkk'
Finalmente a Carol está começando a ter o que merece. E uma perguntinha Laura Estacas funcionam com a Carol??? Eu quero matar ela. kk

E já adicionei o seu link-me, que inclusive ficou lindo.
Beijos, Até me breve

# Lαurα Fernαndez c੭ disse...

Oiie Cinderelaaa, *---*

SHAUSHAUASH, eu acho que possuo esse dom sim, já que a cada capítulo que vocês lêem ficam ainda mais curiososas.
Carol é líder de sala, no geral, ela é uma patricinha, tem tudo que quer, é popular, gosta de mandar em todo mundo... Só que Melina não aceita as ordens dela e nem tão pouco fica "puxando o saco dela".
Então, Ela atormenta a vida de Melina, considerando ela uma ameaça ao seu reinado ou popularidade.
A história de Thalita e Rosenberg vocês só ficaram sabendo no próximo capítulo, mas podem ficar tranquilas, não rola romance entre eles >:D
Agradeço o elogio, até o próximo post.

Beijos e até mais ❤

# Lαurα Fernαndez c੭ disse...

Oie Polly *----*

SHAUHUAHUASH, nem eu acho sensato. Mas ela mentiu pensando que Franco acreditaria nela, mas ela não conseguiu. Afinal, ele é um vampiro que lê mentes.
Acho que Carol está recebendo o que mereci? Você ainda não viu nada >:D
Estacas funcionam em Carol sim, como em qualquer vampiro.
Agradeço o elogio ao meu link-me. Demorou de ser construído, mas valeu a pena.

Beijos e até mais ❤