quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Desejos Impuros - Parte 10 - As Rosas Negras

Quando Rosenberg terminou de falar, todas nós ficamos sem reação. Para ser sincera, eu não queria fazer parte de nada, eu só queria que as coisas voltassem a ser como eram antes, eu (Uma simples novata) e elas (As pop girls). Ser popular nunca foi a minha praia, sempre me mantive isolada de tudo e de todos, e sempre foi assim. Mas com essa maldição agora correndo em minhas veias, parecia que algumas coisas iriam mudar. Continuando o discurso: "Vocês são as minhas rosas negras, as quais terei o dever de cuidar, ensinar e proteger do mundo exterior. Se Vocês acham que o mundo mortal é complexo. O imortal é muito pior e não falo isso para assustá-las e sim para precavê-las. Vocês já devem ter passado pelo estágio 1, onde os recém-transformados ficam com algumas olheiras no rosto, os olhos ficam totalmente negros e sem nenhuma gota de sangue nas veias." - Eu e Carol logo olhamos para os nossos pulsos e percebemos que não havia uma gota de sangue. Nos olhamos assustadas, mas mantivemos a calma.

"Não se assustem. Esse é só o primeiro estágio. O terceiro é o estágio mais como posso dizer turbulento comparado aos outros. Vampiros recém-transformados costumam perder o controle facilmente sentindo o cheiro de sua presa. Que no nosso caso são os humanos, mas não se preocupem. Ninguém aqui vai morder ninguém, vocês apreenderam a controlar a sua sede por sangue humano. E em geral nos alimentaremos de animais. Caso vocês precisem de alguma coisa estarei sempre aqui para ajudá-las no que for necessário." Franco se calou e Carol levantou a mão, ele deu a permissão e ela perguntou: "Já que somos vampiras, temos poderes?" Rosenberg voltou o seu olhar para Carol e falou: "Vocês possuem poderes que só iram desvendar com o tempo, nem todos os vampiros possuem o sexto sentido. Quando nos tornamos vampiros todos os nossos cinco sentidos se tornam muito mais letais, possuímos super força, velocidade e sensibilidade ao que nos cerca. Já o sexto sentido, é algo mais psíquico. Que não escolhemos apenas o possuímos e nem sempre sabemos controlar”.

Carol sempre curiosa levantou a mão e perguntou: "O senhor possuí algum poder?" Rosenberg nos olhou com um sorriso debochado e respondeu: "Sim, possuo o poder de ler a mente das pessoas apenas com o toque da mão, mas não apenas ler. Possuo o poder de desvendar todos os seus maiores segredos, seus pensamentos, suas lembranças. Tudo o que você já viu, pensou e ouviu passará pra mim, e eu guardarei em minha mente, somente o que for essencial. Posso ler a sua mente Carol?" Ele gentilmente se curvou e estendeu a sua mão para Carol, ela sorriu para ele e deu a sua mão. Eu olhei para ambos, curiosa para ver o que aconteceria. Rosenberg ficou gelado, como se um turbilhão de coisas passassem pela sua mente e o que eu mais temia era que eu fosse a próxima a passar por essa Prova de Fogo.

Um comentário:

♪ Dαyαnє ♪ disse...

Oi Laura,

Finalmente voltei para terminar de ler *--*

Ok, estou achando o Rosenberg meio... assustador O.o' rs' Mas a história está ficando ótima, fiquei super surpresa da Melina virar vampira, mas agora estou muuito curiosa pra saber ocmo ela vai lidar com isso *--*

E, um cara com a aparência do Rosenberg poder ler mentes de garotas ao redor deles vai dar o que falar X) rs'

~> Beijusss...;*