segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Desejos Impuros - Parte 2 - O Mistério de Franco Rosenberg

Primeira semana de aula, sexta-feira. Acordei morrendo de sono, e embora eu tenha tomado o café correndo cheguei atrasada no colégio. Peguei o ônibus lotado, meus cabelos estavam uma droga, desci no ponto errado, atravessei três pistas de carro e finalmente cheguei ao colégio. Direcionei-me ao banheiro, onde pude me arrumar melhor. E subindo para a sala me encontrei com a coordenadora Marli, que me aconselhou que eu pedisse para entrar na sala. A primeira vista achei estranho o pedido dela, mas o segui.

Fui até a porta, bate nela três vezes e pedi para entrar. No mesmo momento veio um professor em minha direção e me cumprimentou pelo bom comportamento. Ele parecia estar feliz com o meu gesto, afinal, eu tinha sido a única aluna da sala que pediu permissão para entrar em sua aula. Sorri para ele e sentei na minha carteira. Em seguida ele perguntou meu nome, e anotou na caderneta. Seu nome era Franco Rosenberg, tinha 36 anos e era professor de Redação do ensino médio. Ele tinha pele clara, cabelos castanhos escuros, olhos cor de mel, e dono de uma beleza incomparável, sedutora e imortal. Neste dia ele estava vestido com um terno preto. Bonito e bem alinhado ele chamava atenção de qualquer mulher que passasse por ele.

Durante o resto de sua aula, Franco deixou bem claro o conteúdo que iria dar durante o ano, as suas regras e expectativas sobre o primeiro ano B. Era inacreditável a forma como ele mantinha os alunos atentos e ao mesmo tempo em silêncio na sua aula, poucos professores que ensinavam pra gente conseguiam essa proeza. No final do horário fui falar com Ísis para saber o que havia acontecido. Ela me contou que todos os alunos que entraram na sala sem pedir permissão perderam cinco pontos de qualitativa. Depois dessa respirei aliviada e agradeci a Marli em pensamento por ter me alertado.

Franco era um homem sério, sério o bastante para você não se meter no caminho dele. No início eu não sabia nada sobre a sua vida, mas depois daquele dia comecei a querer conhecê-lo cada vez mais. Dono de uma personalidade forte e de uma disciplina rígida, ele atraia ódio de uns e admiração de outros. E se aproximar de um homem como ele, sim, isso seria muito difícil. Volta e meia, Professor Rosenberg (como gostava de ser chamado) sempre estava rodeado de alunos veteranos, era raro encontrá-lo sozinho. Apesar da sua discrição em relação aos alunos, ele nunca omitiu o seu favoritismo pelas alunas das séries mais avançadas, o que me fazia ter certo ciúme delas já que tinham muito mais acessibilidade a Franco, do que os alunos do primeiro ano.

3 comentários:

Cynthia Brito disse...

Nossa, muito fantástico seu blog.
Amei!
Meu blog, recentemnte, passou por modificações, ele era preto com listras coloridas... chega deu pena de transformá-lo, mas as coisas por mais bonitas que são muitas vezes cansam, infelizmente.
Achei o máxiimo o teu blog, amor. Beijo ;*

♪ Dαyαnє ♪ disse...

Oi Laura,

Primeira vez por aqui e já estou me apaixonando pelo Franco - ainda mais com a aparência do Ian *-* - Mesmo estando atrasada e ainda tendo muito o que ler - até que isso é algo bom, não me deixa ansiosa rs-, mas estou gostando muito da história já ;)

~> Beijusss...;*

# Lαurα Fernαɳdez. c੭ disse...

Oie Day,

Eu sabia que você ia acabar se apaixonar por ele *-*, como eu me apaixonei.
Atrasada você? Magina.. floor, nunca é tarde para acompanhar uma saga ;)
Nossa... Eu fico muito mais muito feliz que você esteja gostando da saga, esse é o propósito, fazer você se apaixonar.

Beijos e até mais *--*